Alvenaria de tijolos maciços

March 20, 2016

 

 

Você provavelmente já conhece a construção com tijolos maciços. Antigamente era comum construir sobrados residenciais com tijolos maciços de barro. Esta técnica é bem antiga e serviu de base para todos os tipos de alvenaria, inclusive a Estrutural.  
Por definição, alvenaria é toda obra constituída de elementos como pedras naturais, tijolos ou blocos de concreto, ligados ou não por argamassa.


Quando se fala em alvenaria geralmente se pensa em paredes/fechamentos, porém as paredes de alvenaria também possuem resistência e durabilidade por si só, desde que utilizados de forma que as cargas sobre ela sejam só de compressão, sem flexão (traduzindo, existe peso/força apenas de cima para baixo e nunca lateralmente).


A matéria prima do tijolo comum é a argila misturada com um pouco de terra arenosa. Depois de selecionada e misturada a argila é misturada com água até formar uma pasta, que é moldada em formas apropriadas que vão dar o formato ao tijolo. As formas são retiradas com a massa ainda mole, os tijolos crus são deixados a secar no sol formando o que se chama de adobe. 

Uma vez atingida a dureza inicial e retirado o excesso de umidade, os tijolos são cozidos em fornos com temperatura entre 900 a 1.100ºC. As peças que ficarem mais próximas do fogo ficarão mais escuros e terão resistência física maior.

O tijolo comum pode ter vários formatos, atendendo a várias finalidades como paredes curvas, cantos arredondados e efeitos decorativos. Além do tradicional em formato de paralelepípedo existem os redondos e os fracionados: meio-tijolo no sentido horizontal e meio-tijolo no formato vertical. Existem também com largura de 1/2 e 1/4 de tijolo, usados no revestimento de fachadas. Algumas olarias fornecem peças com meio-corte, para facilitar a separação das metades na obra, mas nada impede que se corte com uma serra elétrica ou até mesmo com a colher de pedreiro. 


A quantidade de tijolos por m2 depende do tamanho dos tijolos e da espessura da junta.

 

As paredes feitas com tijolo comum se diferenciam pela espessura e, consequentemente, pela maneira com que os tijolos são assentados. Assim, temos as espessuras de ½ tijolo, 1 tijolo, 1 ½ tijolo e até de 2 tijolos ou mais. Em São Paulo existem vários prédios construídos em alvenaria estrutura de mais de 2 tijolos como, por exemplo, os prédios antigos da Universidade Mackenzie e as construções da antiga Rede Ferroviária, uma das quais virou um requintado auditório. 

Para cada largura de parede é feito um tipo de amarração dos tijolos. A intenção é desencontrar as juntas e com isto conseguir maior resistência ao cizalhamento, além de melhorar o comportamento geral da alvenaria quando recebe as cargas, ou seja, a parede fica mais resistente com as juntas devidamente amarradas. 

A Alvenaria de ½ tijolo é a mais usada para as paredes internas, pois recomenda-se que as paredes externas ou que recebem mais carga sejam feitas com espessura de 1 tijolo. As alvernarias de ½ tijolo devem ser feitas com as juntas desencontradas fiada a fiada, inclusive nas junções de parede.

Atualmente não se costuma usar outras espessuras de alvenaria de tijolo maciço, mas é possível fazer também de 1½ tijolo e até de 2 tijolos ou mais. Os cuidados são os mesmo, as juntas devem ser desencontradas o tanto quanto possível. 

Além de servirem para paredes de vedação ou estruturais, os tijolos maciços se prestam muito bem à execução de pilares, meramente decorativos ou mesmo com função estrutual, era comumente utilizado em varandas, por exemplo, pelo seu efeito estético. 

O tijolo comum é muito versátil, mas vem sendo condenado pois sua execução precisa dos fornos a lenha, que devastam as florestas e poluem o ar, assim os preocupados com as construções sustentáveis e ecologia recomendam o uso dos tijolos laminados pois consomem menos energia na sua execução. Poderíamos também citar o uso dos tijolos de solo-cimento, que podem ser feitas nos mesmos formatos e usados nas mesmas finalidades que o tijolo comum.

Esses conceitos servem também para alvenarias feitas com outros elementos como blocos de concreto, tijolos laminados e outros. 

 

Uma novidade é utilizar o tijolo maciço como  revestimento sem nenhuma junta, assentes um sobre o outro `á seco`, utilizando argamassa apenas no verso. 

 

 

 

Please reload

SOBRE ARQUITETURA
Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square